PÁGINA INICIAL
NOTÍCIAS | BIOGRAFIA | DISCOGRAFIA | DVD | TOUR | BOSS BANDS | TOP10 | BrucePT

: EXTRAS

. The River: Glastonbury Festival, 2009

. Wrecking Ball: Giants Stadium, 2009


© 2010

: CURIOSIDADES


. Este DVD é o primeiro registo oficial de Bruce num concerto ao ar livre.

. Este lançamento é também o primeiro da sua carreira inserido num festival de música.

DVD's

The Complete Video Anthology / 1978-2000 Blood Brothers Live in New York City Live in Barcelona In Concert - MTV Plugged Devils & Dust VH1 Storytellers
Born to Run - 30th Anniversary We Shall Overcome: The Seeger Sessions We Shall Overcome: The Seeger Sessions - American Land Edition Live in Dublin Working on a Dream London Calling: Live in Hyde Park The Promise The Promise

LONDON CALLING LIVE IN HYDE PARK



TEMAS



. London Calling
. Badlands
. Night
. She's The One
. Outlaw Pete
. Out In The Street
. Working On A Dream
. Seeds
. Johnny 99
. Youngstown
. Good Lovin'
. Bobby Jean
. Trapped
. No Surrender
. Waiting On A Sunny Day
. Promised Land
. Racing In The Street
. Radio Nowhere
. Lonesome Day
. The Rising
. Born To Run
. Rosalita (Come Out Tonight)
. Hard Times (Come Again No More)
. Jungleland
. American Land
. Glory Days
. Dancing In The Dark
. Raise Your Hand (créditos finais)

Temas Extra
:
The River: Glastonbury Festival, 2009
Wrecking Ball: Giants Stadium, 2009


A VOZ DOS FÃS


SPRINGSTEEN, O CORREDOR DE FUNDO

Um DVD como "London Calling: Live in Hyde Park" dá razão aos fãs de Bruce Springsteen que gostam de dizer que «o Boss é o maior». Nem a fotogenia decrescente de Springsteen e da sua E Street Band (coisas da idade) apaga o brilho de uma actuação suada que, mesmo que durando quase três horas, tem o mérito de não parecer longa.

"London Calling: Live in Hyde Park" retrata, como o título adverte, um espectáculo no maior parque da capital inglesa. O concerto é iniciado com uma versão do clássico dos londrinos Clash, 'London Calling', uma mordomia do culto Bruce Springsteen, seguindo-se uma sessão contínua de pontos altos, que inclui as canções mais recentes do grande álbum "Working on a Dream".

Bruce Springsteen é, de resto, o pulmão de um corpo sonoro robusto, a E Street Band. Com luva e pulso pretos e o ar e humildade de um operário dos subúrbios (mesmo que com um saber enciclopédico e uma sensibilidade poética de grande letrista), Springsteen dá o litro (de suor) com a sua voz rouca e o seu interactivismo entusiasta, cumprimentando a multidão e emprestando, se possível, o microfone ao anónimo fã (incluindo até uma criança).

O carisma da E Street Band está também espalhado pelos vários membros. Ao seu lado está o guitarrista experiente Stevie Van Zandt (o homem do lenço); atrás está sentado o televisivo baterista Max Weinberg com os habituais colete e camisa; e o afroamericano Clarence Clemons é uma espécie multi-homem: multi-instrumentista (saxofonista, flautista, percussionista), multi-estilístico (jazz nos sopros, gospel e blues na voz). Além do aparato deste famoso septeto, Bruce Springsteen conta ainda com um coro de duas vozes e o apoio de uma violinista e de um multi-instrumentista.

No centro de tudo, está, claro, a música de Bruce Springsteen e dos companheiros que respira América... No fiozinho de blues, audível na harmónica que anuncia 'Promised Land' ou nos efeitos slide da guitarra que se vão ouvindo noutras músicas. Na americana de 'Hard Times Come Again No More' (um tradicional do século XIX). Na festa folk de 'American Land' (ou Springsteen e a E Street Band a soarem aos Pogues). No rock de intervenção ('Good Lovin'). E, voltamos nós, no apego ao blues-rock ('Seeds' e 'Johnny 99').

As músicas de Springsteen, com aqueles teclados soalheiros (como em 'Badlands', 'Promised Land' ou 'Born to Run'), têm a palavra glória no ADN. 'Working on a Dream' e 'Radio Nowhere' são outras músicas de sorriso estampado no rosto. 'Trapped', cinematograficamente ambientada por teclados, é o exemplo da balada explosiva. A participação especial do vocalista dos Gaslight Anthem, Brian Fallon, no tema 'No Surrender' é outro momento honroso para o DVD. A odisseia Jungleland, que deu a maioridade a Bruce Springsteen enquanto compositor, continua eterno em Londres, no Hyde Park. E o fecho com os arrebatadores 'Glory Days' e 'Dancing in the Dark' faz colocar "London Calling: Live in Hyde Park" na prateleira mais à mão.

Bruce Springsteen é um corredor de fundo  - e de pista dos fotógrafos, sempre junto do público. Tal como os fãs, também este DVD diz «o Boss é o maior!».

Gonçalo Palma

 
 
Mais de 2 horas e meia de concerto, num total de 27 temas.



O concerto está registado na íntegra, tal como foi tocado no dia 28 de Junho 2009
.



: AGRADECIMENTOS


Gonçalo Palma
faz a crítica ao DVD de Bruce Springsteen, texto disponível no site Cotonete.
Para além da colaboração neste site, o Gonçalo é ainda o autor do blog a pedreira.


 
Bruce Springsteen & the E Street Band - Badlands Portugal - 2001/2016

"It ain't no sin to be glad you're alive"
Badlands, Darkness On the Edge Of Town, 1978